domingo, 24 de junho de 2007

O grande derbi


Chegou a altura da escolha! Eu cá não me esqueço da Sintra...






15 comentários:

eusébio disse...

Cá por mim, desde que haja o tremoço...

o barba de camelo disse...

Chegou a sagres à AAC e correram comigo; agora com toda a superbock que comprei ou a vou oferecer para a queima ou lavo os pés com ela.

o arturzinho disse...

Uma ou outra tanto faz. Desde que paguem adiantado.

o bar doninha disse...

Uma ou outra tanto faz. Desde que não a pague.

Avô disse...

Desde que não dê borreira...

DZRT disse...

Para mim tanto me faz, se dou peidos bons ou bufas más...

Borracho del Tablon disse...

Sagres ou Super Bock,
cerveja pra toda a ocasião,
tanto dá pra um concerto de Rock,
como pra relaxar após um belo fodão!

Tem é de estar bem gelada,
fresca é mais saborosa,
de preferência bem tirada,
caso contrário fica horrorosa!

Quando bebe demais vai ao Wc,
aflito da próstata,
quem é? logo se vê,
Conselheiro Tó, o nosso querido apóstata!

Quando a devora solta dois peidos,
que lhe sabem mesmo a mel,
mas pra nós não são nada meigos,
não é, amigo Gardel?

Quando a vende fica cego,
a Sagres sempre a aviar,
tens-lhe mesmo muito apego,
Gosma estás sempre a facturar!

gardel disse...

Meu caro borracho,

Folgo em ver o meu amigo por estas bandas. E que aparecimento meteórico. Versinhos. Só falta estarem em itálico, para o nosso Gosma tentar colar-lhe a mítica imagem. Mas você meu caro tem evidentemente outro estilo. Um estilo que consagra uma mente plena de espírito inventivo e carradas de imaginação. Será pois importante a sua habitual e regular participação.
Daqui o saúdo pela brilhante contribuição, destacando a passagem que faz pela flatulencia do nosso Cacciolli e pela avidez comercial do nosso Velho. Esse sim, o novo Arturzinho.
Saúdo-o com amizade dedicando-lhe o tema "é dos carecas que elas gostam mais" a pensar no seu colega peidorreiro. Também não vou deixar de lhe enviar o tema "Money" desta feita tendo como fonte de inspiração, essa personagem ladina, o espadachim da venda.
Aceite pois aquele abraço do seu amigo
Carlos

Borracho del Tablon disse...

Bem avisado fui por esse
Gosma velho e querido amigo,
que pela hora dezassete,
já estaria aqui consigo!

Com hábitos de monge,
pontualidade de britânico,
coragem de ontem e hoje,
nem uma mesa o põe em pânico!

O saúdo com um abraço,
mas também ao nosso ninja,
fugazmente e com cagaço,
antes que uma cadeira me atinja!

o capitel do movel disse...

quem diria...tantos anos pra tirar o curso e agora as cadeiras inté boam, apre careca dum ladrao, cuidado com a linguagem e com as cadeiras tambem.vai um jameson?

o que jamais se endireita disse...

eu nao tenho palavras, eu nao tenho dotes oratorios, eu nao tenho vinho (pudera o gosma so vende cerveja)

Velho Gosma disse...

Caro BDT,

É um prazer imenso ler o meu amigo por aqui, seja bem vindo, fique a saber que a sua poesia é muito apreciada por estas bandas.
Até pensei que o seu aparecimento fosse uma forma de cumprimentar os Xeneizes por mais uma taça, deixe lá, fica para Dezembro...
Mas entretento vá escrevendo, a malta diverte-se.

Velho Gosma disse...

Meu caro amigo Carlos,

Devo manifestar o meu profundo desagrado pela comparação infeliz, por distração de certo, que o meu estimado e querido amigo fez.
Comparou-me a um dos maiores canalhas, crápulas cobardes que esta cidade já pariu.
Por certo não mediu o alcance de tal afirmação, como tal estou seguro que irá ter uma explicação cabal para ese acto, que considero irreflectido, e eu com toda a certeza irei esquecer essas palavras menos conseguidas e brindaremos com um pujante fino fresco e gozaremos o preto hoje à noite na casa de Quintães.
Por isso aceite como dedicatória, o excerto de La Traviata, Brindis.
Aquele abraço,
Gosma

Velho Gosma disse...

Por certo reparou que eu referi brindar com um fino fresco e não com uma cerveja a que o nosso imaginário nos podesse remeter.

gardel disse...

Caro Velho,

Não tive qualquer intensão de ofender o meu caro amigo. Longe de mim tal atrevimento. Aliás relembro que o amigo está acima de qualquer suspeita, à excepção da dogmática, claro.
Se inadvertidamente o comparei a esse monstro vivo do exito comercial, esse ávido cobrador, enfim, o autentico homem do fraque, apenas pretendia relevar uma das suas enormes qualidades, a de vender o invendavel. Conseguir pôr as pessoas a engolir um patrocinador do clube do Xô Vieira, é obra. Por isso prefiro a SuperBock, assumo.
Esperando que não me leve a mal, nem que me faça mal, agora que encarna o mítico Rocky Marciano, despeço-me enviando as mais sinceras desculpas acompanhadas da banda sonora do filme "Touro Enraivecido" do enorme Scorcese.
Abraço do amigo
Carlos