sexta-feira, 15 de junho de 2007

Boivent enfants de la Patrie

Zarkozy já ganhou o direito a figurar na história, pois tal como cantou Camões, na versão Fantasmas, ...aqueles que por copos volumosos se vão da lei da sede libertando....

7 comentários:

gardel disse...

Caro Velho,

Este post é de uma oportunidade soberba, agora que iniciou o seu ramadão. Sempre dá para aliviar saudades e recordar a sua proverbial boa disposição. Creia que vamos sentir a sua falta. Será uma fuga de 2 em 1?
De qualquer modo devo-lhe dizer que a coisa aqui está preta. Imagine o caro amigo, o nosso insigne e proeminente advogado depois de coçar o cucuruto,com a sua força herculea virar uma mesa do tasco para cima dos dois maiores deuses. Instalou-se a confusão.
Já cá fora os ditos gigantes esperaram pelo facínora e um com um raio, o outro à martelada, não vão de modas. Queriam levar o tratante ao poste. Já imaginou? Que cena! Fantástico.
Depois desta, digo-lhe sinceramente, deixe lá o Sarkozy.
Como habitualmente dedico-lhe um tema, desta vez dos UB40, "Red Wine", em homenagem ao seu post.
Espero pelo meu amigo, antevendo no entanto, uma ausencia longa.
Até lá, vá brincando com o lego. Sei que é um especialista.
Seu amigo, Carlos

Velho Gosma disse...

Meu caro amigo,agradeço-lhe, uma vez mais, as suas palavras gentis.
Quanto ao post, diris, foi de uma oprtunidade messiânica, pois realmente estava longe de imaginar que passadas umas horas o nosso semi-deus romano - e nós sabemos como os romanos são loucos...- iria beber da mesma água que o presidente gaulês.
Bom, temos que dar um desconto pois realizar os trabalhos que ele já realizou deixa qualquer um desgastado. Consta que o trabalho que mais lhe agradou realizar foi dominar as da Amazónia. Consta, mas não há certezas...
Reza, também, a lenda que depois de ajudar o amigo Atlas a segurar o mundo ele nunca mais foi o mesmo, agora só pensa em Gibraltar e em empurrar duas colunas, dois "pesos-pesados". Este epíteto, com a devida vénia, pois então, dois pesos pesados do respeito, carinho e admiração que todos vos somos devedores.
Meu caro, espero que dentro em breve não me dedique "O Afonso" da sua - nossa - tão querida Estudantina. Entretanto deixo-o com uma música de um filme Disney, "Hércules - de zero a herói".
Despeço-me cordialmente do meu amigo vendo-me obrigado a fazer um reparo, eu é mais Mecano.
Atentamente, Velho

o coveiro disse...

O Velho está enterrado, mas vivo!
Temos Tatibitate.

Anónimo disse...

Enterra, selvagem.

o dr da mula russa disse...

quanto mais volumosos mais dá de comer ao milhao de portugueses. tomai e bebei todos este é o vodka da aliança nao derramado por vós

Anónimo disse...

mas bebido por náo.

Anónimo disse...

nós