segunda-feira, 11 de junho de 2007

Black eye? Peace!

Após larga ausência, o nosso campeão, vai novamente calçar as luvas e subir ao ring, agora na sua cidade natal para conquistar o título que lhe falta na sua já longínqua carreira.
Àqueles que o acusam de louco irá responder com o seu mítico directo de direita. E os que o julgam velho podem ver imagens de um treino onde revela a agilidade e frescura de um miúdo de 20 anos.

8 comentários:

Lózã H. disse...

Este gajo perdeu completamente o juízo, só espero que isto seja a reinar!

Páris disse...

DILEMA

No futebol,
pareces saído do formol,
no Choupal
não corres nada mal
e no boxe
escolhe de duas uma hipótese:
ou dás parte de fraco e foges por um triz,
ou deixas que te partam a cana do nariz!

Velho Gosma disse...

Sê bem vindo(a) amigo(a) Páris.
Quero agradecer-te e dizer como fiquei sensibilizado com o belo poema que me dedicáste. Contudo teria sido agradável que tivesses explicado a coisa do Choupal! Nós íamos para lá correr!
A propósito, tu também chegáste a ir lá? è que não me recordo, deve ser da idade.
Vai aparecendo, há muita gente com saudades tuas. Nós sabemos que não és só nosso(a), tu és do mundo, tu és de Celas, de Lisboa, de Aveiro, de Santa Apolónia, do Casal Novo do Rio, da António José da Almeida ou até quem sabe de S. Sebastião...ou não.

Páris disse...

SE

Se sou de Celas
quero é sair com elas,
se sou de Lisboa
levo a vida numa boa,
se sou de Aveiro
se calhar sou engenheiro,
se sou de Santa Apolónia
chateio-vos a cachimóna,
se sou do Casal Novo do Rio
onde estou, alguém me viu?
Se na António José de Almeida tenho o meu ninho,
ergo-vos o meu vinho.
Se sou de S. Sebastião?
E então?

Boggie disse...

We'll always have Paris?

Anónimo disse...

Mas já agora podias dizer de onde és, sei lá, uma pistazinha, a malta não chega lá, já estamos destreinados, nem temos jogado às pessoalidades.

Manuel João Vieira disse...

O Páris de Celas
gosta de apanhar com elas,
o Páris de Lisboa
chupa de forma muito boa,
o Páris de Aveiro
despe-se por dinheiro,
o Páris de Santa Apolónia
mudou de sexo na Polónia,
o Páris do Casal Novo do Rio
até um cão ele já pariu,
o Páris da António José de Almeida
tem uma ganda peida,
o Páris de S. Sebastião
agarra aqui com a mão.

Páris disse...

SEU BRUTIS!

Sem que ele me visse,
dise-lhe:

"homo homini lupus,
seu brutus!"

Calado,
olhou para o lado
e viu que era sua,
a sombra nua
de um lobo.
Com cara de bobo,
a abominação,
então,
ao perceber não ser gente,
arreganhou o dente
e devorou-se.
O couce,
sentiu-o o Diabo,
bem no fundo do rabo.
Bem feito!
Julgava ter o direito
de coromper almas
e ainda ter palmas.