domingo, 8 de junho de 2008

Tesourinhos deprimentes II
















Eva Gardner + Éguana

1 comentário:

Coça disse...

O chato é inconveniente
Chega sempre na hora errada
Fala muita baboseira
Interrompe conversa animada.

Todos comemoram sempre
O sossego de sua ausência
Porque a profissão do chato
É torrar a paciência.

Quando alguém diz "Bom dia"
Ao chegar atrasado,
O chato remata logo
"Viesse mais cedo, seu retardado”!

Na mesa do restaurante
Alguém se senta na ponta
E o chato logo grita:
"Ele vai pagar a conta!"

Nem nos engarrafamentos
Nos conseguimos safar
Tem sempre um chato ao lado
Que adora buzinar

O chato, esse bom-vivant
Geralmente um parasita,
Inveja a borga alheia
Chama a polícia e não hesita.

Quando vamos ao cinema
Assistir a um filme lindo
Um chato na nossa frente
Fica o tempo todo tossindo.

Abre a boca entra mosca,
O chato não serve para nada
Sai asneira meio tosca
E termina com gargalhada.

Antes da Lei do Tabaco,
O fumo não incomodava o chato.
Mas armado em Chico-esperto,
Acusa agora tamanho acto.

Uma pulga atrás da orelha
Uma pedra no sapato
E no meio de tanta chatice
Até esse poema se tornou chato.

E vocês? Conhecem algum chato?